Amparado pela Constituição Federal Capítulo V - da Comunicação Social *Art. 220
DownLivre
Notícias
Loading...

Em Destaque

Ourém News.com | 15:23 |




PARABÉNS TIMÃO. AQUI FICA A NOSSA HOMENAGEM


Papa classifica tragédia nos EUA de "violência sem sentido"
O Papa Bento 16 lamentou neste domingo a morte de 26 pessoas nos Estados Unidos, na sexta-feira, em um ataque promovido por um homem armado, e rezou pela consolação das famílias das vítimas que incluíram 20 crianças.
"Fiquei profundamente entristecido pela violência sem sentido de sexta-feira, em Newtown, Connecticut", disse o pontífice a multidões de peregrinos reunidos na Praça São Pedro, no Vaticano.
"Eu asseguro às famílias das vítimas, especialmente aqueles que perderam um filho, a minha proximidade em oração. Que a consolação de Deus toque seus corações e alivie sua dor", disse o papa.
Na sexta-feira, um homem de 20 anos identificado como Adam Lanza forçou sua entrada na escola Sandy Hook Elementary, em Newtown, onde matou seis mulheres, 12 meninas e oito meninos com idades entre 6 e 7 anos, antes de se matar.
Programações de TV e cinemas nos EUA são alteradas por conta de tiroteio em Newport

O tiroteio que provocou a morte de 27 pessoas na cidade de Newport, nos Estados Unidos, provocou uma reação dos estúdios de Hollywood e dos canais de TV do país.
As pré-estreias do filme "Jack Reacher", novo de Tom Cruise, e a comédia "Uma Família em Apuros" foram adiadas. Já a rede Fox decidiu deixar de exibir novos episódios dos humorísticos "Uma Família da Pesada" e "American Dad!" por conta do conteúdo ofensivo da série. No lugar de capítulos inéditos, a emissora decidiu vai levar ao ar reprises das duas animações.
O episódio final da segunda temporada da série "Homeland", exibida no país pelo canal Showtime, foi ao ar com um alerta ao público. O seriado, considerado violento, aborda temas como a Al Qaeda e o terrorismo.
Jamie Foxx
O ator Jamie Foxx declarou que a indústria do entretenimento deveria assumir mais responsabilidade pelo excesso de imagens violentas oferecido ao público. Para o artista vencedor do Oscar de melhor ator em 2005, os atores norte-americanos precisam reconhecer o fato da violência no cinema e na TV poder influenciar as pessoas.
Quentin Tarantino, que assina o próximo filme estrelado pelo ator a ser lançado ("Django Livre"), afirma estar cansado de defender suas produções -- marcadas pela violência como em "Pulp Fiction" e "Kill Bill" -- a cada vez que os Estados Unidos lamentam as mortes ocorridas por conta de atentados. Já a atriz Kerry Washington, que também participa de "Django Livre", disse que filmes violentos podem ser educativos.
*Com informações da agência de notícias Associated Press
STF cassa mandato de deputados condenados no mensalão






A maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta segunda-feira que os parlamentares condenados na ação penal do mensalão devem perder seus mandatos.
Assim, os deputados João Paulo Cunha (PT-SP), Valdemar Costa Neto (PR-SP) e Pedro Henry (PP-MT) terão seus mandatos cassados. A decisão também atinge o ex-presidente do PT José Genoino, que assumiria uma vaga de suplente em janeiro pelo PT paulista.
O voto de desempate foi do ministro Celso de Mello, determinando, por cinco votos a quatro, a perda de mandato dos deputados condenados no mensalão.
"A perda do mandato parlamentar... resultará da suspensão dos direitos políticos causada diretamente pela condenação criminal do congressista transitada em julgado, cabendo à Casa legislativa meramente declarar a perda do mandato", disse Celso de Mello, que ficou doente na semana passada, o que causou o adiamento da sessão para esta segunda-feira.
A decisão tomada pela maioria do Supremo deve gerar um atrito entre a Corte e a Câmara dos Deputados. O presidente da Casa, deputado Marco Maia (PT-RS) afirma que a cassação de mandato é prerrogativa do Parlamento e, antes da decisão do STF, já havia alertado para a possibilidade de ela não ser cumprida pela Câmara.
Em seu voto, Celso de Mello, o ministro que está há mais tempo no Supremo, fez críticas a um eventual não cumprimento das decisões da Corte.
"Não acatar decisão judicial é esdrúxulo, arbitrário e inconstitucional", disse. "A não observância das decisões desta Corte debilita a força da Constituição."
Denunciada em 2005 pelo então deputado federal Roberto Jefferson, também condenado no julgamento, o mensalão foi um esquema de desvio de dinheiro público para a compra de apoio no Parlamento durante o primeiro mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
Entre os condenados, estão o ex-ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu e o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares.
A ação penal começou a ser julgada em agosto.
(Reportagem de Ana Flor)

Category:

ANUCIE CONOSCO AQUI VOCÊ É VISTO:
O único site do município de Ourém, Entre contato com o departamento comercial (91) 981575643 ou pauloprosarte@hotmail.com

Recados